Animasix.com | Trem Bala – Ana Vilela
AnimaSix.com
21 de fevereiro de 2017
|
by jcarlos

Trem Bala – Ana Vilela

Talvez você tenha recebido pelo Whatsapp nos últimos dias uma canção chamada “Trem-bala”, que está sendo compartilhada sem parar em grupos do aplicativo. Mas ninguém sabia de quem era a composição e a voz que canta a música. Nós descobrimos e a entrevistamos, para entender esse fenômeno.

O nome por trás desse sucesso é Ana Carolina Vilela da Costa, ou simplesmente Ana Vilela. Paranaense de Londrina, ela tem apenas 18 anos e fez uma música com a qual, como se diz na linguagem da internet, “as pessoas não estão conseguindo lidar”, de tão bonita e tocante que é.

Para entender o fenômeno da canção, conversamos com ela por e-mail. Confira abaixo:

Afinal, quem é a autora dessa música que conquistou e está conquistando tanta gente?

Ana Carolina Vilela da Costa, mas uso como nome artístico só Ana Vilela.

Qual sua idade?

18 anos.

Em que cidade você vive?

Londrina/PR.

Você se dedica exclusivamente à música ou exerce alguma outra atividade paralelamente?

Eu trabalho como auxiliar em um projeto social que ensina música para crianças, chamado Street Cross.

Acredito que à simplicidade da letra e da melodia, e ao fato de a letra ser um pouco universal. Não é uma música sobre uma situação isolada, mas sobre a vida. Muita gente me procurou para falar exatamente isso.

 

Redes Sociais da Ana Vilela:

instagram: @anavilelaofc
twitter: @ahnaoaninha

Letra

Não é sobre ter
Todas as pessoas do mundo pra si
É sobre saber que em algum lugar
Alguém zela por ti
É sobre cantar e poder escutar
Mais do que a própria voz
É sobre dançar na chuva de vida
Que cai sobre nós

É saber se sentir infinito
Num universo tão vasto e bonito
É saber sonhar
E, então, fazer valer a pena cada verso
Daquele poema sobre acreditar

Não é sobre chegar no topo do mundo
E saber que venceu
É sobre escalar e sentir
Que o caminho te fortaleceu
É sobre ser abrigo
E também ter morada em outros corações
E assim ter amigos contigo
Em todas as situações

A gente não pode ter tudo
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso, eu prefiro sorrisos
E os presentes que a vida trouxe
Pra perto de mim

Não é sobre tudo que o seu dinheiro
É capaz de comprar
E sim sobre cada momento
Sorriso a se compartilhar
Também não é sobre correr
Contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera
A vida já ficou pra trás

Segura teu filho no colo
Sorria e abraça Seus pais
Enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir

Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá

Segura teu filho no colo
Sorria e abraça teus pais
Enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir

Deixe um comentário